Notícias

Fergie relembra vício em drogas e período que sofria alucinações

Fergie concedeu uma entrevista bem sincera para o iNews e falou sobre a sua separação, a indústria da música e seu passado com as drogas.

“Obrigado Deus pelo FaceTime. Eu e Josh estamos trabalhando em tempo integral agora. É complicado e ficamos cansados, mas estamos tentando o nosso melhor para garantir que nosso filho sinta apenas amor. Estou super orgulhosa de Josh. Ele escreveu e dirigiu um filme chamado “The Buddy Games”, seu primeiro trabalho como diretor. Então, agora ele está na ilha de edição.”

“Eu lancei meu álbum solo depois de 11 anos e estou promovendo ele. Tem muita coisa acontecendo. É por isso que queríamos entender a nossa separação antes de anunciar publicamente. Para garantir que realmente conseguimos isso juntos com nosso filho. É um malabarismo constante.”

A indústria da música é notoriamente sexista e cheia de ageísmo. No ano passado, Madonna reclamou que uma artista feminina mais velha definitivamente não tocaria na rádio. Isso é algo que você se preocupa agora?

“Isso acontece o tempo todo nessa indústria. Deus me livre se você quiser usar algo mais revelador. Eu trabalho duro no meu corpo e me orgulho dele. Apenas porque você teve um filho ou atingiu uma certa idade, isso não significa que você não quer mostrá-lo. É natural.”

Antigamente, Fergie passou por problemas com drogas, quando era viciada em metanfetamina. Isso ocorreu durante um período complicado de sua vida, antes da fama com o Black Eyed Peas.

“No meu ponto mais baixo, eu estava sofrendo por demência e psicoses induzidas por químicos. Eu sofria alucinações diariamente. Demorou um ano depois de largar a droga para que os químicos no meu cérebro amenizassem e enfim parasse de ver coisas. Eu ficava ali sentada vendo uma abelha ou coelho aleatório.”

Suas alucinações ficaram tão fortes que ela achava que a CIA, FBI e SWAT estavam a rastreando. Eventualmente, ela buscou abrigo em uma igreja, provavelmente por causa de sua educação católica.

“Eles tentaram me expulsar, porque eu estava andando pelos corredores de uma forma louca, porque eu achava que tinha uma câmera infiltrada na igreja tentando verificar meu corpo. Passei pelo altar até um corredor e duas pessoas estavam me perseguindo. Eu me lembro que pensei: ‘Se eu sair e a SWAT estiver lá fora, eu estava certa o tempo todo. Mas se não tiverem lá fora, então são as drogas me fazendo ver coisas e eu vou terminar em uma instituição. Se realmente forem as drogas, eu não quero mais viver a minha vida dessa forma, de jeito nenhum.’ Eu saí da igreja e obviamente a SWAT não estava lá, era apenas eu em um estacionamento. Foi um momento de libertação.”

“A coisa das drogas é que elas são muito divertidas, até não serem mais. Mas quer saber, eu agradeço o dia que isso aconteceu comigo. Porque essa é a minha força, minha fé, minha esperança por algo melhor.” Nem todo mundo consegue passar por isso e se tornar uma cantora mundialmente conhecida. “É tão incrível, eu sei. Acho que eu devo ter anjos da guarda.”

 

Sobre mim

Jefferson Fernandes

Twitter/Instagram: jeffersoonfs